Sempre fui dessas pessoas que vivem sentindo um certo desencaixe, feito peça de Lego fora da caixa. Dessas que já tentarem se encaixar aqui e acolá, mas vira e mexe estão envolvidas em um montão de projetos diferentes.

Mas sei que não estou remando sozinho nessa maré incerta e isso me deixa imensamente feliz. Como eu, existem um bocado de gente que tem a despretensiosa vontade de mudar o mundo enquanto trabalha em algo que faça sentido, que quer empreender seu tempo em relações mais pessoais, até mesmo no trabalho.

Um viva a esse tipo lindo de gente ímpar e singular! Que passa longe de ser perfeita, mas que realiza com o coração. Que acredita em gente, nas suas ideias, paixões acometedoras e sonhos borbulhantes. Gente que coloca marcas mais humanas e inspiradoras no mundo e que propõe uma forma mais sustentável de existir.

E se você também é desse tipo de gente, estou aqui para dizer que, na maioria das vezes, você talvez seja o único a acreditar nas suas ideias, mas não deixe isso te desanimar.  No fim das contas, nosso manifesto diário de propósito é mesmo um ato de rebeldia. Um novo modo de coexistir em um mundo que já está tão desgastado por modelos predatórios, que erguem bandeiras de escassez e competitividade.

Devo te alertar que muitas pessoas vão te desacreditar durante o processo. Vão duvidar de você e questionar se realmente é o momento de fazer o que quer que você sonha em fazer. Ao contrário delas, eu estou aqui para dizer que você é capaz de fazer dar certo sim e te ajudar nessa caminhada, enquanto trilho a minha.

 

Robledo Magalhães

Autor Robledo Magalhães

Pesquisador em Aprendizagem Criativa aplicada à negócios. Especializou-se em centros de educação como UFMG, MIT, Perestroika e outras instituições de ensino livre. Trabalha, desde 2012, em projetos de marketing digital e em processos criativos. Criou o LAB31, em 2016, que funciona desde então como um laboratório de ideias, para empoderar as pessoas em seus negócios, ensinando e dando autonomia em forma de conhecimento.

Mais publicações de Robledo Magalhães

Escreva um comentário